As novas medidas de austeridade - Tudo ou nada

O Governo encavou.

Pedro Passos Coelho surpreendeu tudo e todos com uma revolução na estrutura de descontos para a segurança social. Até agora os trabalhadores participavam com 31% da contribuição e as entidades empregadoras participavam com 69% da contribuição.

A partir de 2013 os trabalhadores passam a suportar 50% e as entidades empregadoras 50%. O aumento da contribuição de uns é compensado pela diminuição da contribuição de outros. Os efeitos para a economia são incertos mas o governo arriscou aplicar uma receita que acredita.

Se no final de 2013 o país não apresentar sinais de recuperação, os partidos do governo serão sovados nas autárquicas e, provavelmente, o Governo não resistirá.

publicado por Pedro Pestana Bastos às 16:06 | partilhar