Cachimbo final

 

Há um tempo para tudo. Aqui no Cachimbo esse tempo durou sete anos. Chegou o nosso outono e, com ele, «o cansaço antecipado de todos os gestos, a desilusão antecipada de todos os sonhos», como dizia o desassossegado Pessoa. O Cachimbo começou como um grupo de amigos e acabou da mesma forma. Várias vezes não estivemos de acordo – ainda bem! –, mas remámos sempre contra o ar do tempo, com um registo próprio, explorando terrenos virgens na bloga nacional. Fez-se boa opinião por aqui: livre, vincada e sem rodeios. Salvámos a pátria várias vezes e, ocasionalmente, tratámos de coisas sérias. Falou-se de ciência, religião, literatura, música, mas também de futebol e rugby, fumando e entornando vinho pelo teclado. Agradecemos aos que leram as nossas cachimbadas. Somámos mais de quatro milhões de visitas, outros tantos comentários, polémicas a perder de vista. Lançámos novos autores, criámos uma linguagem e uma identidade próprias.

Mas o Cachimbo fuma-se devagar, os vícios curam-se, o tempo foge, a motivação escasseia. Entretanto alguns de nós escreveram livros, outros emigraram ou trocaram-nos por miúdos, parlamentos ou gabinetes. A verdade é que vários filhos e teses nasceram ao longo destes anos. Por aqui, continuamos a acreditar que Portugal é uma teimosia viável, que vamos sair disto, libertar-nos das dívidas que nos escravizam. E que a nossa geração tem uma especial responsabilidade na mudança. Sabemos que a realidade nem sempre é o que parece, mas as coisas são sempre o que são – um lugar-comum conservador que procuramos honrar. As outras razões de desencanto ficam entre nós, camaradas de fumo, esquecidas nas paredes do Grémio Literário. A cicuta bebe-se depressa e com estilo. É o que fazemos, apesar das saudades que já temos desta casa onde fomos felizes. Não é fácil fechar um blogue com tantos leitores fiéis. Lamentamos desiludir-vos, mas talvez um dia nos voltemos a encontrar, nesta ou noutras casas de fumo. Até um destes dias camaradas!

publicado por Cachimbo de Magritte às 11:05 | partilhar