Acredito

Penitencio-me. Só agora vi a luz. Claro que o que Portugal precisa, nas circunstâncias actuais, é de uma duplicação imediata dos salários nominais (para aumentar o consumo), de fazer disparar a despesa pública corrente (salários da administração pública e afins, e prestações sociais) e de capital (mais estádios de futebol e comboios ultra-rápidos), aumentar os impostos (sobre as fortunas, mais-valias e actos anti-sociais), reduzir o horário semanal de trabalho (para dar lugar nas empresas e no Estado aos que estão desempregados), e outros tantos corolários maravilhosos da "economia heterodoxa".
Não percebo por que é que ainda há quem não esteja convencido. Não percebo.
Mas acredito que se deva ao maldito "pensamento único". Acredito.
publicado por Miguel Morgado às 13:05 | partilhar