Quando é que acaba o circo?

Na semana passada, Vasco Pulido Valente disse o que havia a dizer sobre o ridículo da visita catedrática de sumidades socialistas à Tunísia para ensinar as boas almas do outro lado do Mediterrâneo todas as técnicas das excelentes transições para a democracia.
Hoje quando ouvi na rádio o persistente Vitorino, o protagonista da procissão, a falar despudoramente sobre o assunto, lembrei-me das memoráveis palavras de um sócio (anónimo) do Benfica que, numa das imortais Assembleias-Gerais do clube na era Vale e Azevedo, se aproximou do então presidente e, esbracejando, lhe gritou: "Quando é que acaba o circo?"
publicado por Miguel Morgado às 21:07 | comentar | partilhar