Confusão

Ao afirmar que “quando uma pessoa se apresenta assumidamente como homossexual e quer dar sangue, eu interpreto como uma provocação”, Gabriel Olim não está a falar de comportamentos de risco, está a falar da orientação sexual.

Quanto ao resto: se “a relação sexual nunca é 100% protegida” e a “experiência também nos diz que relações que em princípio eram totalmente monogâmicas não são tão monogâmicas assim”, então qualquer relação sexual é um comportamento de risco. Porque “múltiplos parceiros, relações não protegidas, fazer sexo oral e anal” não são (é um pouco triste ter de explicar isto) comportamentos exclusivos dos homossexuais masculinos.
Se fossem tiradas todas as consequências das palavras de Gabriel Olim ou reduzíamos a lista de dadores ao clube das virgens ou ao movimento de pinguins celibatários.
publicado por Joana Alarcão às 13:25 | comentar | partilhar