Economistas e outros seres fabulosos

É verdade. O Estado impossível em que hoje vivemos também foi uma construção teórica (consensual, no essencial) da classe de «cientistas» a que chamamos, com o respeito antes devido aos sacerdotes, economistas. Estão quase todos no poder. Defenderão contra todos os vulcões de evidências os castelos no ar que ajudaram a erguer, quando não foram mesmo os seus principais artífices. O menor dos males que daí advirá será a péssima reputação daquilo a que chamam ciência, que obrigaria à humildade perante os imprevistos da história.
publicado por Jorge Costa às 10:05 | comentar | partilhar