2007


Gosto de balanços. Gosto dos balanços que tanto se fazem por estes dias, às vezes só para respeitar a convenção de que por estes dias se devem fazer balanços. Gosto, mesmo assim. Gosto de olhar para trás. Gosto de ver à distância, longe da tirania do imediato, longe do som e da fúria do que em tempos me pareceu tão grande e o tempo mostrou não o ser.

Devolve-me a perspectiva.

Só isso me ensina quanto errei em juízos apressados, ou superficiais, ou cheios de uma indignação de circunstância que não queria dizer mais nada.

E só isso me ensina que também tive razão aqui e ali.

Nos próximos posts, farei um balanço de 2007. Não um balanço neutro e exaustivo, mas um balanço pessoal e comprometido. O meu balanço.

Vale o que vale.
Vale a pena. Ou não o faria.
publicado por Pedro Picoito às 18:24 | comentar | partilhar