Não se governam nem se deixam governar

A reacção da recusa de Rui Rio em dar "tolerância de ponte" no dia 26 de Dezembro mostra quão actual está esta expressão. Passem milhares de anos e de influências de tantas civilizações e cá estaremos, sempre a chafurdar nos direitos e nas conquistas do "povo".

Numa reportagem da SIC, em tom pesaroso, a locutora lá ia dizendo que a tal tolerância tinha sido concedida pelo Governo e que "todas as câmaras municipais contactadas pela SIC" iam ter os serviços encerrados no dia 26.

Rio argumentou, e muito bem, que estamos em crise económica e que milhares de pessoas do sector privado - como eu porra - iam trabalhar dia 26. Muitas delas precisam dos serviços da câmara a funcionar, e não a ressacar no enésimo feriado deste ano.

É que só neste mês já tivémos e vamos ter: uma sexta-feira pela Restauração, uma sexta-feira pela Imaculada Conceição, uma segunda-feira pelo Natal e uma segunda-feira pelo ano Novo! O que é que querem mais?

P.S. Eu até admito que Rio faça isto para piscar o olho a alguns sectores da direita. Mesmo assim prefiro que alguém dê o exemplo.

publicado por Francisco Van Zeller às 16:13 | partilhar