2007: Blogosfera

Mais do que blogues, leio sobretudo bloggers: Filipe Nunes Vicente, Luís M. Jorge e os do Cachimbo. O amiguismo é uma coisa muito feia, eu sei.
Tomo diariamente o rápido nos dois sentidos. À direita, Atlântico, Insurgente, 31 da Armada, Arte da Fuga e Abrupto. À esquerda, Arrastão, Cinco Dias, Zero de Conduta, Kontratempos e Bichos Carpinteiros.
Quando posso, gosto de parar em alguns dos apeadeiros mais subestimados da bloga lusa: A Terceira Noite, O Amigo do Povo, A Natureza do Mal, Les Canards Libertaires, Complexidade e Contradição, Hardblog. E no maradona, que não é subestimado. E no Mexia, idem. E no Viegas, idem idem. E no Vasco Barreto.
2007 foi o ano em que o Paulo Gorjão, o Eduardo Nogueira Pinto, a Helena Botto e o Luís Aguiar Santos deixaram de blogar.
2007 foi o ano em que o Augusto M. Seabra começou a blogar.
2007 foi o ano em que a bloga se dividiu pelo aborto, como outrora pelo Iraque.
O "caso Tiago Mendes" foi um mero reflexo. Façam a prova: quem está a favor, votou sim; quem está contra, votou não.
Viram? Quase não falha. A blogosfera é previsível - faz parte do seu encanto.
2008 trará novidades, mas não surpresas. A menos que eu aprenda a fazer links.
publicado por Pedro Picoito às 01:24 | comentar | partilhar