Pois


Hoje, no Público, Eduardo Prado Coelho diz que a expressão "terrorismo de esquerda" não faz sentido.

Eu também acho.

É uma verdadeira contradição nos termos.

É como juntar dois apelidos que provavelmente nem existem, por exemplo Baader e Meinhoff.

Ou três letras sem qualquer coerência, tipo um E, um T e um A.

Ou um substantivo - sei lá, sendero - e um adjectivo - luminoso , vá - ao calhas.

Ou uma sigla totalmente aleatória (FP, imaginem) e um número (ao acaso: 25).

Pois.
publicado por Pedro Picoito às 17:30 | partilhar