Se calhar...

Francis Bacon dizia que quando queria ficar deprimido bastava-lhe ir a um museu e ver um quadro de Rothko. Para mim é mais fácil: basta-me ir à sala e ligar a televisão. Isto para dizer que ouvi o discurso de Sócrates em Espinho. Aquela coisa da “campanha negra” (incriminados: o Público – particularmente José Manuel Fernandes - e a TVI – nomeadamente Manuela Moura Guedes) começa a soar propriamente obscena. Até porque, sem má-fé nenhuma, o sentimento com que se fica é que a verdadeira visada (o que se quer pressionar) é a investigação em curso. Retórica, só? Se calhar…
publicado por Paulo Tunhas às 13:31 | comentar | partilhar