Crenças

Isto e isto, na verdade, não são mais do que variações da gritaria "socrática" do "pessimismo", do "bota-abaixismo" e de outros lamentos pela "irresponsabilidade" das oposições da pátria. Já não se trata agora daquela morna, sonsa e "burguesa" mediania, daquele seguidismo disfarçado de bom-senso a que nos habituou. Não. Começa mesmo a assomar à superfície um rancor que já não se disfarça. Desespero, provavelmente. E pode muito bem haver ali um espanto sincero: como é possível haver uma alma sequer que duvide, que critique, que se oponha ao benéfico governo do engenheiro Sócrates? Como?...
Há sempre uma certa crueldade na perturbação das crenças dos outros. É melhor deixá-lo em paz.
publicado por Carlos Botelho às 23:08 | partilhar