cabecinha de polícia, alminha de bufo

Esta cabecinha de polícia andou a contar judeus no Largo Camões. Esperta como é, imagino o método: somar os payot à vista e dividir por dois. Parece que a conta deu zero. Bem, payot, não é costume nesta terra. E os judeus portugueses, pelo menos os que guardam o Shabbat, estavam de certeza em casa. Como de costume. Dos outros não sei. Mas no relatório da cabecinha não constam. E, se ela diz, é porque não havia. Confirmem: a alminha de bufo diz que são critérios jornalísticos.
publicado por Jorge Costa às 13:29 | partilhar