Dissonâncias

Li o título, “Trabalhar menos é o melhor caminho para viver melhor” e gostei. Quem não gosta? Fui ler o referido estudo e ainda gostei mais. E porque não? Que interessam a realidade, as tendências demográficas e de padrões de conjugalidade do nosso país? O nosso envelhecimento, o crescimento do índice de dependência e previsível diminuição da população activa? Nada. Que interessa a nossa produtividade per capita estar sistematicamente a crescer abaixo do PIB? Menos ainda. Porque, como já aqui o tinha afirmado, Portugal entrou, pela diligente mão de Sócrates, num estado de torpor surrealista. A profunda e patente dissonância cognitiva entre o ministro das obras públicas e o ministro das finanças da última semana apenas comprovam o desgoverno a que estamos sujeitos.
publicado por Eugénia Gamboa às 11:38 | partilhar