A fuga

Isto é pura teimosia "ideológica". Ao arrepio da realidade - ou melhor, recalcando a própria realidade, finge-se que ela não está lá e faz-se uma fuga em frente para a ilusão. É o resultado de um "pensamento": este.
Vamos todos pagar por isto. Mas o que é isso para a incapacidade do primeiro-ministro em lidar com, em reconhecer a realidade? O que é isso para a pulsão propagandística, para a vertigem da mentira de Sócrates? Desta forma, consegue projectar uma mentira para o futuro. Mesmo quando a realidade vem confirmar as perspectivas mais avisadas, Sócrates, fugindo daquela como o diabo da cruz, persiste no delírio. E arrasta-nos consigo.
publicado por Carlos Botelho às 23:13 | partilhar