Demolidor

Jornal de Negócios

Carlos Costa comparou hoje a economia portuguesa a uma empresa que construiu um belo edifício mas não teve dinheiro para comprar máquinas. “O que se passou em Portugal foi o de alguém que construiu um edifício bonito, com bons lavabos, mas depois percebeu que não tem dinheiro para comprar as máquinas”. O governador do Banco de Portugal defendeu que este é um problema estrutural da economia portuguesa, que apostou nos bens não transaccionáveis e não soube aumentar o seu produto potencial. Ou seja, Portugal apostou em grandes investimentos, com baixa capacidade produtiva.

Agora, os "cérebros" que planearam este maciço desperdício de recursos querem-nos vender também a solução para sairmos deste atoleiro. Acho que passa por mais "investimento" público em bens não transaccionáveis (TGV, aeroportos, auto-estradas). Novas Oportunidades para desperdiçarem o nosso dinheiro, portanto.

publicado por Miguel Noronha às 09:43 | partilhar