Quinta-feira, 01.09.11

Uma medida eficaz

Uma das medidas já conhecidas de redução da despesa pública é a redução dos custos operacionais nos hospitais e centros de saúde.  O objectivo de redução foi aliás duplicado. Ainda assim. Mesmo que defendamos que cabe ao estado garantir o acesso aos cuidados de saúde isso não obriga que o estado a fornecer esses serviços. Um medida bem mais eficaz seria a privatização das unidades que ainda detém. E  nunca mais teria de se preocupar-se com os seus custos operacionais

tags:
publicado por Miguel Noronha às 12:33 | partilhar
Sexta-feira, 04.01.08

Newspeak de Menezes

«O Governo do PSD faria de forma diferente, não fecharia urgências que no quotidiano as pessoas sentissem a falta delas», sublinhou Luís Filipe Menezes (DN, 4.1.2007).
.
É impressão minha ou «forma diferente», na Newspeak de Menezes, é um sinónimo de «não faria nada»?
Alguém conhece serviços de urgência dos quais as pessoas não sintam falta? Onde?
Mais. É esse o critério que deve orientar uma política de Saúde escorreita?
publicado por Joana Alarcão às 11:18 | comentar | ver comentários (5) | partilhar
Quinta-feira, 03.01.08

Só os portugueses?

1. «Seria importante que os Portugueses percebessem para onde vai o País em matéria de cuidados de saúde», salientou Aníbal Cavaco Silva na mensagem de Ano Novo do Presidente da República.

2. «Há questões que se podem levantar: a lentidão com que tudo avança e uma parente falta de clareza da estratégia. Sente-se que o sr. ministro tem uma estratégia na cabeça, mas não está escrita e não se consegue segui-la.
(...)
O principal documento que temos é o Plano Nacional de Saúde (PNS), da autoria do ministro anterior. E ficamos nesta dúvida: a estratégia é o PNS ou há outra que ainda não foi publicada? Não aceito que a estratégia seja o programa eleitoral do PS. Enquanto tal, tem características de oportunismo político que não se coadunam com a realidade das populações. Acredito que o ministro tenha uma, que vá além desse programa. Mas, infelizmente, não é clara. Não o é para as profissões, para as ordens e sindicatos e para os agentes públicos e privados, que são informados das estratégias através de entrevistas e comentários na comunicação social. Somos, talvez, o único país da Europa que não tem uma estratégia para a Saúde publicada e claramente definida, a fim de que todos saibam para onde o sistema está a caminhar», Paulo Kuteev Moreira (Visão, 7.6.2007: 124-6).
publicado por Joana Alarcão às 00:20 | comentar | ver comentários (1) | partilhar

Cachimbos

O Cachimbo de Magritte é um blogue de comentário político. Ocasionalmente, trata também de coisas sérias. Sabe que a realidade nem sempre é o que parece. Não tem uma ideologia e desconfia de ideologias. Prefere Burke à burqa e Aron aos arianos. Acredita que Portugal é uma teimosia viável e o 11 de Setembro uma vasta conspiração para Mário Soares aparecer na RTP. Não quer o poder, mas já está por tudo. Fuma-se devagar e, ao contrário do que diz o Estado, não provoca impotência.

pesquisa

 

posts recentes

links

Posts mais comentados

últ. comentários

  • ou podre
  • http://fernandovicenteblog.blogspot.pt/2008/07/si-...
  • O pagamento do IVA só no recibo leva a uma menor a...
  • O ranking tal como existe é um dado absoluto. Um r...
  • Só agora dei com este post, fora do tempo.O MEC af...
  • Do not RIP
  • pois
  • A ASAE não tem excessos que devem ser travados. O ...
  • Concordo. Carlos Botelho foi um exemplo de dignida...
  • ou morriam um milhão deles

tags

arquivos

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

2006:

 J F M A M J J A S O N D

subscrever feeds