Traições

A propósito da fórmula a usar para a ratificação do Tratado de Lisboa em Portugal, para não "trair" a União Europeia e os seus líderes, José Sócrates achou por bem trair os seus eleitores, os deputados do PS e os militantes deste pobre partido. É verdade que houve quem dissesse que a "traição" é, e cito de cor, "uma questão de datas." Mas é igualmente verdade que houve tempos em que em Portugal, como na Europa sem "União", os traidores podiam ter destinos pouco felizes. Ver-se-á, mais cedo ou mais tarde, em que ponto estamos, aqui e na Europa, no caminho a dar aos traidores.
publicado por Fernando Martins às 23:06 | comentar | ver comentários (1) | partilhar